segunda-feira, 7 de abril de 2014

Projetos do Museu



A Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais tem como uma de suas diretrizes trabalhar ações que promovam a produção cultural de todo Estado, solicitando às suas unidades subordinadas que desenvolvam projetos que agreguem as diversas faces da manifestação Cultural do Estado.
Orientado pelas diretrizes propostas pela Secretaria de Cultura, o Museu Mineiro da Superintendência de Museus de Minas Gerais realizou eventos e ações culturais e educativas, e dentre elas, aqui apresentamos algumas.




O Museu Guardas
Visitas - Encontro de Guardas de Congo, Moçambique, Reinado, Marujos e Caboclos


Você já ouviu um batuque de Congado? Sabe o que é uma Guarda de Moçambique ou de Caboclos? Neste projeto, o Museu traz as chamadas Irmandades, fundamentais acervos de resistência da nossa cultura popular, para celebrar, em seu espaço, um verdadeiro encontro com as raízes formadoras da nossa identidade, enquanto povo brasileiro. Venha beber da sua origem e ver nossas belas imagens barrocas serem envolvidas pelos som dos batuques e cantos entoados. Confira a beleza deste evento nas imagens disponíveis neste Blog.








Sobre Mesa de Queijos
Ação







O Queijo de Minas aqui se transforma em suporte para a inspiração de Artistas, que desenvolvem proposições criativas sobre uma mesa de queijos posta . A sua textura, cor, cheiro, gosto, ou mesmo seu valor como patrimônio imaterial da nossa cultura, tudo é motivo para o nosso famoso queijo entrar “na roda”, ou melhor, participar da mesa, onde é recriado para ser degustado por todos, durante um evento, provocando uma relação divertida entre o público e o objeto. Veja os registros desta interação em nossos ensaios fotográficos.




Projeto "Cozinha Museu"
Ação / Culinária




Que a culinária é uma arte ninguém duvida! Muito menos que é parte de nosso acervo cultural. Neste projeto, nossos convidados vão “às panelas” e, numa grande mexida coletiva, refazem as receitas de alguma iguaria mineira. É certo que alguns se atrapalham um pouco, já que não partimos do pressuposto que todos saibam cozinhar e que, muito menos, dominem esta arte. Receitas em punho! Aqui, mais vale o exercício coletivo que, ao final, revela os quitutes postos à mesa ( de almoços , jantares, merendas e ceias) num ato de confraternização e paz. Quem partilha compartilha e a festa é pública! Uma perfeita harmonia: dar, receber e retribuir, com liberdade. A nossa velha hospitalidade mineira à mesa não é um bem imaterial a ser preservado? Para fazer este delicioso exercício, todas as receitas já produzidas estão disponíveis para você neste blog. Que tal oferecer um pé de moleque ao vizinho?





Projeto Território
Oficina / Exposição




Durante uma oficina no espaço do Museu, um grupo de jovens artistas (selecionados através de edital), juntamente com um artista convidado, investigam questões caras à nossa instituição e propõem alguma forma de intervenção dentro do Museu.
O Museu Mineiro abre-se à pesquisa e experimentação, dando origem a “novos territórios” de reflexões que intervenham entre o acervo e seu espaço expositivo, criando um palco de interações entre o artista mediador e o público usuário, colaborador e co-criador deste processo.






Musa Música Museu
ação / recital

A sala da Coleção de Arte Sacra (Sala Petrobras) do Museu Mineiro aqui vira um autêntico cenário para recitais de música barroca. Esta música produzida entre os séculos XVI e XVIII, e executada pelo grupo MÚSICA FIGURATA, dialoga com nosso acervo numa estreita familiaridade. É bom ressaltar o precioso trabalho de pesquisa realizado por este grupo no resgate destas belas peças musicais. Composto pelos instrumentistas Robson Bessa (cravo) , Luciano Andrade Salgado (viola de gamba), André Cavazotti ( violino barroco) e Déborah Antonucci Lapréa (flauta transversa) “O Figurata”, como é tratado carinhosamente, ainda nos brinda este ano com o programa “200 Anos da Chegada da corte de D. João VI no Brasil,” trazendo algumas participações especiais como a presença internacional do CAFÉ ZIMMERMAN. Merecem destate também as apresentações do CORO MADRIGALE e do TRIO AMADEUS.



Vestindo o Menino Deus
Ação / oficina





Você conhece a expressão popular “desvestindo um Santo para vestir outro”? Aqui nosso Santinho está nu, porque, em tempos passados, estas antigas imagens ganhavam roupas que eram feitas especialmente pelos fiéis com a intenção de receber delas alguma graça. Este costume corriqueiro, que ainda existe em muitas cidades do interior mineiro, aqui vira uma divertida brincadeira: você cria uma veste para o Nosso Senhor Menino, que pertence à coleção do Museu Mineiro. Você tem talento e pode inventar uma roupinha! Vamos tentar?
A ação acontece na sala de arte sacra do Museu, de forma bem livre, pelos visitantes. A tarefa é pegar e fazer. Confira só os resultados.




Coisas que podemos fazer
Ação



Aqui você vai descobrir diversas técnicas artísticas, bem simples e acessíveis, que podem auxiliar a realizar aquelas imagens que andam por sua cabeça e você nem havia imaginado de que forma colocá-las no papel.




Recordação da Visita
Ação / educativa





Há muito não se vêem mais aquelas fotografias em que toda a turma da escola posava para eternizar-se no tempo.
A idéia, aqui, é retomar a antiga tradição e presentear você, nosso ilustre visitante, com esta “pomposa” recordação da sua visita ao Museu e de quebra ainda, dar a você acesso às outras imagens registradas durante o percurso. Será que daqui a alguns anos você se lembrará, ao rever a foto, do nome de cada um destes sorridentes companheiros?








Memória do Visitante
Ação / educativa





Neste blog, você pode vasculhar as diversas lembranças deixadas no Museu por nossos visitantes.
Aqui aparecem objetos que estavam em seus bolsos, ou esquecidos no fundo da mochila entre as folhas de um caderno. Quando vier ao museu, deixe a sua recordação numa caixinha e contribua para enriquecer este nosso acervo informal.
Já imaginou o que poderá acontecer quando num certo dia você mostrar a seus filhos aquele fiozinho de cabelo que catou do ombro da Carol?







Glossário da Visita
Atividade / Interativa




Durante a visitação ao Museu, você ouviu ou leu, em nossos blogs, alguma palavra que tenha despertado sua atenção? Lembrou?
Então, dê asas à sua imaginação e crie uma figura que, de alguma maneira, contenha a idéia e reflita a palavra escolhida. Envie para nós. A nossa intenção é criar um dicionário visual, imagem / escrita, com as palavras que fazem parte do universo do Museu, trabalhadas, visualmente, segundo a compreensão de cada um.








No escurinho do Museu

Atividade / Visitação





O programa propõe uma inusitada visita no escuro, munindo cada pequeno grupo de crianças de uma lanterna que deve ser compartilhada.




Palavras aos Índios
Projeto / Ação Educativa



A partir de 145 desenhos produzidos pelos participantes do segundo encontro de professores índios de Minas Gerais promovido pela Secretária de Estado de Educação, o nosso Museu, em outubro de 2008, realizou uma rara mostra onde propusemos aos pequenos grupos de visitantes elegerem um dos desenhos expostos e assim criar uma estória falada, escrita, e até mesmo teatralizada para a nossa ação educativa.
Vejam só no que deu.

Evento: Lançamento do Livro Um alfabeto para contar Histórias: dos Homens, das Coisas, das Plantas e dos Animais
Data: 22 de maio, sábado
Horário: 11 horas

Evento: Exposição Palavra: dos Homens, das Coisas, das Plantas e dos Animais
Data: 24 de maio a 11 de junho
Visitação: de Segunda a Sexta – de 9h às 12h e de 14h às 21hSábado de 9h às 12h
Local: Galeria Guignard – Rua Ascânio Burlamarque, 540 – Mangabeiras

Visite o blog: http://www.palavraaosindios.blogspot.com/
“Não publicaremos nossas Ações e Projetos em função da legislação eleitoral até que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) oficialize o término das eleições”.


[Em atendimento ao disposto nos arts. 73, 75 e 77 da Lei Federal nº 9.504, e ainda, na Resolução Conjunta SEGOV-AGE Nº 002, de 03 de maio de 2010]

quinta-feira, 16 de maio de 2013

11ª Semana de Museus - Ação Educativa Parceria com Instituto São Rafael











Museu Mineiro monta exposição sensorial para cegos e pessoas com baixa visão. Ação faz parte da programação da 11.ª Semana de Museus

Em comemoração à 11.ª Semana de Museus o Museu Mineiro propõe ação planejada para o atendimento do público cego e com baixa visão. Nos dias 15 e 16 e também de 21 a 25 de maio o Museu exibirá mostra especialmente idealizada para permitir o toque e a exploração do prédio e do acervo ativando todos os sentidos.

A exposição, montada na Sala Multiuso do Museu Mineiro apresenta peças de relevante valor artístico e simbólico, ricas em informações táteis e visuais que estavam guardadas em reserva técnica, longe do olhar do público. Com a utilização de luvas especiais, os visitantes são convidados a tatear obras de arte de diversos artistas como Jeanne Milde, Valentim Rosa, José Francisco Lopes Figueiredo, além de peças de mobiliário do século XIX e réplica do Profeta Jeremias de Aleijadinho. A visita contempla todo o prédio e o jardim, passando pelas salas do Museu onde também é permitido o toque em algumas peças e elementos arquitetônicos.

Visitas orientadas por educadores do Museu Mineiro estimularão o público cego e com baixa visão a experienciar a arquitetura do Museu, as peças de seu acervo e suas propostas educativas de maneira inventiva. Alinhando técnicas de áudio-descrição, mediação cultural e transcriação – em que situações de aproximação do público com imagens bidimensionais, como pinturas e desenhos, são criadas por meio do toque de objetos –, a ação objetiva ativar a subjetividade dos envolvidos num ambiente propício à investigação e à construção de conhecimento.
Para ampliar a acessibilidade fichas técnicas das obras expostas e apresentações de cada sala do Museu Mineiro foram transcritas para o Braile. Para o público vidente, a proposta é usar vendas nos olhos e experimentar o Museu de outra forma, com a ponta dos dedos e, é claro, todos os sentidos.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Museu Mineiro recebe Gustavo Bracher



O Museu Mineiro recebe Gustavo Bracher, integrante do grupo 'Musica Figurata', no dia 16 de feveiro, às 16h30* - com o Programa "MÚSICA INSTRUMENTAL ATRAVÉS DOS SÉCULOS" - uma viagem pelo tempo, rara oportunidade de poder assistir a um concerto onde composições de grandes mestres de vários períodos serão interpretados com instrumentos de época e pelo mesmo interprete. Ouvir as obras de Kapsberger em um Tiorba é um privilégio, ainda mais quando acompanhadas de obras de Gaspar Sanz em Guitarra Barroca, Fernando Sor em violão e para encerrar, a grandiosa Chaconne de Bach, BWV 1004 ao violão.

O interprete: Gustavo Bracher é um estudioso de diversos instrumentos de corda, entre eles, a Tiorba, a Guitarra Barroca e o Violão. É membro do grupo de música barroca e renascentista MUSICA FIGURATA. Já se apresentou em diversos países, tocando solo e em várias formações musicais.

*Entrada Gratuita - Sujeita à lotação, retirar ingressos com 30 minutos de antecedência

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Exposição Temporária "Metaflor - Metaflora" da artista Solange Pessoa



VISITAÇÃO: 

15 de dezembro de 2012 a 30 de abril 2013
terças, quartas e sextas-feiras, de 10h às 19h
quintas-feiras, de 12h às 21h
sábados, domingos e feriados, de 12h às 19h

quinta-feira, 5 de julho de 2012

foto: Marconi Marques

Fotos do Workshop: "O Teatro da Pintura de Caravaggio" - Lectio Magistralis - com Alessandro Giusberti
foto: Flávio CRO


quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

O Museu Mineiro é um dos equipamentos culturais da SUMAV - Superintendência de Museus e Artes Visuais, órgão executivo da política cultural do Estado que atua como unidade de disseminação de princípios e conceitos e de integração entre os museus de Minas.
Instituído por lei em setembro de 1910, o projeto de um Museu do Estado já era cogitado nos meios políticos e intelectuais, desde a segunda metade do século XIX. Nesta época, se implantava no Brasil o regime republicano, sendo muito propício se pensar em instituições responsáveis pelos vestígios do passado e pelo desenvolvimento do sentido de uma tradição mineira e um patrimônio coletivo. Tais iniciativas concorriam para afirmar o lugar de Minas na Federação e consolidar a construção de uma identidade regional, conferindo legitimidade à república recém-inaugurada.
Hoje, o Museu tem como objetivo abrigar, documentar e preservar, de forma material e simbólica, momentos distintos da cultura, enfatizando a arte mineira. Se organiza no tripé preservação, pesquisa e comunicação, alicerçados no trinômio espaço, bem cultural e público-usuário.

Considerando o público-usuário como sujeito e agente da História, o Museu pretende consolidar a sua vocação de centro cultural, balizado pelo acervo referente à cultura mineira, esta apreendida em sua diversidade. Por meio de projetos que estabelecem diálogos com o patrimônio imaterial do Estado e com seu acervo não localizado nos seus intra-muros, constantemente ele apresenta novas funções e possibilidades para o uso do espaço museal. No projeto Museu Guardas, Guardas de Congado, Reinado, Moçambique, Folia de Reis são convidadas a se apresentarem, assim como são realizadas oficinas e exposições de artistas contemporâneos sugerindo intervenções e articulações entre o acervo exibido e o espaço expositivo do Museu, no Projeto Território, por exemplo.
Segundo Francisco Magalhães, atual diretor do Museu Mineiro, estas iniciativas fazem com que a instituição se articule com os artistas e a sociedade, sendo o próprio Museu e seus objetos alvo de intervenções e palco de interação. Desta forma, acentua-se não só o seu caráter de instituição pública, mas também o torna um núcleo de irradiação de conhecimento e pesquisa.

foto: Daniel Mansur


O Prédio


O Museu Mineiro está localizado na Avenida João Pinheiro, 342, no bairro Funcionários, em casarão histórico, datado dos fins do século XIX. Construído sob a orientação da Comissão Construtora da Nova Capital, revela a arquitetura que marcou oficialmente a fase inicial da cidade. Modelos, conceitos e valores estilísticos de uma elite política, republicana, marcam o edifício que é um exemplar das releituras dos modelos europeus e que recupera as linhas básicas da arquitetura greco-romana e renascentista, apresentando ainda ornamentos de nítida aparência afrancesada.

De edificação eclética, o casarão viria a ser a nova residência do Secretário da Agricultura do Estado, mas acabou servindo ao Senado Mineiro, tendo então sua estrutura ampliada para este fim, perdendo as características originais da sua fachada. Com a Revolução de 1930, o Senado é extinguido e o edifício recebe a Pagadoria do Estado de Minas Gerais, sendo posteriormente tombado pelo IEPHA-MG. No ano de 1977, o projeto do Museu Mineiro iniciaria a sua efetivação e somente em maio de 1982, passaria a ocupar o antigo prédio do Senadinho.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Nos 72 anos que marcam o tempo da criação e implantação do Museu Mineiro revelam muitas mudanças frente à concepção da instituição museal, muito ligadas às demandas históricas e culturais distintas de cada época.

Durante este período, ficou a cargo do Arquivo Público Mineiro a aquisição e o recebimento do seu futuro acervo. Nesta época, seus fundamentos eram marcados por um enciclopedismo, uma proposta de catalogação de fragmentos e exemplares da cultura e natureza de Minas Gerais. Anos depois, o Museu foi pensado com a missão de ser histórico, prestando-se à preservação da tradição e como instrumento salvacionista do patrimônio cultural. Foi reinventado como museu de cultura, para ser finalmente instalado como um museu que enfatizava a arte mineira.

Hoje, o Museu Mineiro apresenta uma exposição de longa duração dividida em três eixos modulares, que correspondem às concepções museológicas que marcam a sua trajetória: coleções: Arquivo Público Mineiro, Geraldo Parreiras e Pinacoteca do Estado.






quarta-feira, 27 de junho de 2007

"GLOSSÁRIO DA VISITA"

Atividade aberta a todos os públicos



Durante a visitação ao Museu, você ouviu ou leu, em nossos blogs, alguma palavra que tenha despertado sua atenção? Lembrou? Então, dê asas à sua imaginação e crie uma figura que, de alguma maneira, contenha a idéia e reflita a palavra escolhida. Envie para nós. A nossa intenção é criar um dicionário visual, imagem / escrita, com as palavras que fazem parte do universo do Museu, trabalhadas, visualmente, segundo a compreensão de cada um.

segunda-feira, 25 de junho de 2007

"MUSA MÚSICA MUSEU"

Recital de Música Colonial - Barroca



A sala da Coleção de Arte Sacra (Sala Petrobras) do Museu Mineiro aqui vira um autêntico cenário para recitais de música barroca. Esta música produzida entre os séculos XVI e XVIII, e executada pelo grupo MÚSICA FIGURATA, dialoga com nosso acervo numa estreita familiaridade. É bom ressaltar o precioso trabalho de pesquisa realizado por este grupo no resgate destas belas peças musicais. Composto pelos instrumentistas Robson Bessa (cravo) , Luciano Andrade Salgado (viola de gamba), André Cavazotti ( violino barroco) e Déborah Antonucci Lapréa (flauta transversa) “O Figurata”, como é tratado carinhosamente, ainda nos brinda este ano com o programa “200 Anos da Chegada da corte de D. João VI no Brasil,” trazendo algumas participações especiais como a presença internacional do CAFÉ ZIMMERMAN. Merecem destate também as apresentações do CORO MADRIGALE e do TRIO AMADEUS.


sábado, 23 de junho de 2007

"O MUSEU GUARDAS"

Visita - Encontro de Guardas de Congo, Moçambique, Reinado, Marujos e Caboclos

Você já ouviu um batuque de Congado? Sabe o que é uma Guarda de Moçambique ou de Caboclos? Neste projeto, o Museu traz as chamadas Irmandades, fundamentais acervos de resistência da nossa cultura popular, para celebrar, em seu espaço, um verdadeiro encontro com as raízes formadoras da nossa identidade, enquanto povo brasileiro. Venha beber da sua origem e ver nossas belas imagens barrocas serem envolvidas pelos som dos batuques e cantos entoados. Confira a beleza deste evento nas imagens disponíveis neste Blog.

quinta-feira, 21 de junho de 2007

PROJETO "CULTURA INDÍGENA: UM OLHAR DIFERENCIADO"

Exposições e Ações Educativas - coordenadas pelo Museu Mineiro

A partir de uma série de desenhos produzidos pelos participantes do segundo Encontro de Professores Índios promovido pela Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais, o Museu Mineiro desenvolve, desde outubro de 2008, o “Projeto Cultura Indígena: um olhar diferenciado”. O projeto promove a mostra itinerante dos desenhos aliada a uma ação educativa que dialoga com as realidades dos locais onde são expostos. Assim, são desenvolvidas oficinas que instigam relações entre a produção artística dos índios e o acervo do museu que recebe a mostra ou com aspectos característicos da comunidade local, quando a exposição é montada em outro espaço cultural. O trabalho vem encantando os participantes.
.........
Confira os resultados nos blogs:
Museu Casa Guimarães Rosa: http://www.palavradosertao.blogspot.com/

terça-feira, 19 de junho de 2007

"COZINHA MUSEU"

Projeto / Ação-culinária feita por artistas


Que a culinária é uma arte ninguém duvida! Muito menos que é parte de nosso acervo cultural. Neste projeto, nossos convidados vão “às panelas” e, numa grande mexida coletiva, refazem as receitas de alguma iguaria mineira. É certo que alguns se atrapalham um pouco, já que não partimos do pressuposto que todos saibam cozinhar e que, muito menos, dominem esta arte. Receitas em punho! Aqui, mais vale o exercício coletivo que, ao final, revela os quitutes postos à mesa ( de almoços , jantares, merendas e ceias) num ato de confraternização e paz. Quem partilha compartilha e a festa é pública! Uma perfeita harmonia: dar, receber e retribuir, com liberdade. A nossa velha hospitalidade mineira à mesa não é um bem imaterial a ser preservado? Para fazer este delicioso exercício, todas as receitas já produzidas estão disponíveis para você neste blog. Que tal oferecer um pé de moleque ao vizinho ?

domingo, 17 de junho de 2007

"TERRITÓRIO"

Projeto / Oficina - Exposição




Durante uma oficina no espaço do Museu, um grupo de jovens artistas (selecionados através de edital), juntamente com um artista convidado, investigam questões caras à nossa instituição e propõem alguma forma de intervenção dentro do Museu. O Museu Mineiro abre-se à pesquisa e experimentação, dando origem a “novos territórios” de reflexões que intervenham entre o acervo e seu espaço expositivo, criando um palco de interações entre o artista mediador e o público usuário, colaborador e co-criador deste processo.


sexta-feira, 15 de junho de 2007

"SOBRE MESA DE QUEIJOS"

Ação S/ Mesa de Queijos - "desenho museografado"


O Queijo de Minas aqui se transforma em suporte para a inspiração de Artistas, que desenvolvem proposições criativas sobre uma mesa de queijos posta . A sua textura, cor, cheiro, gosto, ou mesmo seu valor como patrimônio imaterial da nossa cultura, tudo é motivo para o nosso famoso queijo entrar “na roda”, ou melhor, participar da mesa, onde é recriado para ser degustado por todos, durante um evento, provocando uma relação divertida entre o público e o objeto. Veja os registros desta interação em nossos ensaios fotográficos.


segunda-feira, 11 de junho de 2007

"COISAS QUE PODEMOS FAZER"

Guia virtual - técnicas artísticas




Aqui você vai descobrir diversas técnicas artísticas, bem simples e acessíveis, que podem auxiliar a realizar aquelas imagens que andam por sua cabeça e você nem havia imaginado de que forma colocá-las no papel.

sábado, 9 de junho de 2007

"MEMÓRIA DO VISITANTE"

Ação Educativa / compreendendo acervo, coleção...




Neste blog, você pode vasculhar as diversas lembranças deixadas no Museu por nossos visitantes. Aqui aparecem objetos que estavam em seus bolsos, ou esquecidos no fundo da mochila entre as folhas de um caderno. Quando vier ao museu, deixe a sua recordação numa caixinha e contribua para enriquecer este nosso acervo informal. Já imaginou o que poderá acontecer quando num certo dia você mostrar a seus filhos aquele fiozinho de cabelo que catou do ombro da Carol?

quinta-feira, 7 de junho de 2007

"NO ESCURINHO DO MUSEU"

Ação Educativa - visita monitorada / escolas
 

O programa propõe uma inusitada visita no escuro, munindo cada pequeno grupo de crianças de uma lanterna que deve ser compartilhada.

domingo, 3 de junho de 2007

"RECORDAÇÃO DA VISITA"

Ação Educativa: registro fotográfico do grupo visitante / artista homenageado




Há muito não se vêem mais aquelas fotografias em que toda a turma da escola posava para eternizar-se no tempo. A idéia, aqui, é retomar a antiga tradição e presentear você, nosso ilustre visitante, com esta “pomposa” recordação da sua visita ao Museu e de quebra ainda, dar a você acesso às outras imagens registradas durante o percurso. Será que daqui a alguns anos você se lembrará, ao rever a foto, do nome de cada um destes sorridentes companheiros?

sexta-feira, 1 de junho de 2007

"VESTINDO O MENINO DEUS"

Ação direcionada ao público expontâneo e escolas



Você conhece a expressão popular “desvestindo um Santo para vestir outro”? Aqui nosso Santinho está nu, porque, em tempos passados, estas antigas imagens ganhavam roupas que eram feitas especialmente pelos fiéis com a intenção de receber delas alguma graça. Este costume corriqueiro, que ainda existe em muitas cidades do interior mineiro, aqui vira uma divertida brincadeira: você cria uma veste para o Nosso Senhor Menino, que pertence à coleção do Museu Mineiro. Você tem talento e pode inventar uma roupinha! Vamos tentar? A ação acontece na sala de arte sacra do Museu, de forma bem livre, pelos visitantes. A tarefa é pegar e fazer. Confira só os resultados.

terça-feira, 29 de maio de 2007

BOA NOTÍCIA – O “A MÁ NOTÍCIA” vai as Compras



O projeto "Boa notícia: o 'A má notícia' vai às compras", através da parceria do Museu Mineiro com o Minas Shopping faz parte de um programa que visa estreitar as relações da população de Belo Horizonte e o Museu Mineiro, apresentando-o à população e convidando-a a visita-lo. 
A obra que deu inicio ao conjunto de exposições que compoem o Projeto, a pintura de  título "A má notícia", óleo sobre tela de autoria de Belmiro de Almeida, uma obra ícone da coleção do Estado.






segunda-feira, 28 de maio de 2007

GUARDAS - ITINERANTE [IRMANDADE TREZE DE MAIO]


Um  conjunto de fotos e uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, de autor anônimo, originada em Goa, Índia, no início do século XVIII do Museu Mineiro são recebidos pela Rainha Isabel Cassimiro das Dores e pela sua Guarda de Moçambique e ficaram expostos na capela. No altar, a pequena e delicada imagem de Nossa Senhora da Conceição juntou-se às outras imagens dos santos de devoção da Guarda de Moçambique Treze de Maio e retornou à sua origem, ao rito a que foi destinada  antes de tornar-se objeto exposto em um museu.







.